Denúncia do Núcleo de Justiça Animal da UFPB aos maus tratos de animais no Canil Municipal de Sousa, PB — Foto: NEJA/Divulgação

Falta de alimentação e de condições de higiene e dignidade motivaram canibalismo entre os cachorros mantidos no Canil Municipal de Sousa, no Sertão da Paraíba, conforme denúncia feita pelo Núcleo de Justiça Animal da Universidade Federal da Paraíba (Neja) nesta segunda-feira (15). O ofício encaminhado ao Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV) da Paraíba e ao Ministério Público da Paraíba (MPPB) trata da falta de condições mínimas para manutenção dos animais no prédio.

Segundo o professor Francisco Garcia, coordenador do Neja, um vídeo recebido pelo núcleo demonstra que a falta de comida estava motivando os animais a comerem outros cães mortos.

Por e-mail, o CRMV explicou ao G1 que “ao tomar conhecimento da denúncia verificou que o estabelecimento não está registrado junto a este Conselho Profissional, bem como não possui responsável técnico médico veterinário e devido aos fatos narrados será colocado em rota de fiscalização, o mais breve possível”. O G1 também tentou entrar em contato com a secretária de Saúde de Sousa, Amanda Silveira, mas as ligações não foram atendidas.

Os documentos relatam os maus tratos e crueldade a que são submetidos aproximadamente 80 animais do canil, inclusive com a prática de canibalismo entre eles por falta de alimentação e água. As denúncias são direcionadas à secretária de saúde, ao coordenador do canil, ao diretor de vigilância em saúde e à médica veterinária do canil de Sousa.

De acordo com o Neja, as infrações cometidas no Canil Municipal de Sousa são puníveis, dentre outras formas, por multas ao próprio agente público responsável pelo desrespeito às suas disposições e até mesmo com o fechamento definitivo do canil, devendo os animais ali encontrados serem disponibilizados à adoção imediata.

Em resposta à denúncia ao MPPB, o promotor de Justiça Hamilton de Souza Neves Filho, disse que foi feita uma inspeção na sexta-feira (12) no Canil Municipal de Sousa. No momento da inspeção foram detectadas irregularidades como: animais sem comida e sem água, ambiente sujo e não cumprimento da escala de pessoal.

A inspeção foi feita por já haver um procedimento aberto no MP. A prefeitura foi notificada e uma audiência foi marcada para a próxima semana. O promotor enfatizou que o objetivo é que a situação se resolva extrajudicialmente, para que haja uma resposta mais rápida ao problema.

Fonte: G1 PB 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.