Anuncie no São Bento em Foco
FBI

Na mira do FBI, egípcio se apresenta à PF e nega terrorismo

Mohamed Ahmed Ibrahim disse que sofre perseguição política por fazer oposição ao governo do Egito e teme ser deportado

16/08/2019 09h08
Por: São Bento em Foco
Fonte: JOVEM PAN
Mohamed Ahmed Ibrahim disse que sofre perseguição política por fazer oposição ao governo do Egito e teme ser deportado
Mohamed Ahmed Ibrahim disse que sofre perseguição política por fazer oposição ao governo do Egito e teme ser deportado

Procurado pelo FBI, egípcio que vive no Brasil se apresentou à Polícia Federal e negou ligação com terrorismo. Após cinco horas de depoimento à PF no Aeroporto de Guarulhos, Mohamed Ahmed Ibrahim disse que não conhece ninguém da Al-Qaeda.

Na segunda-feira (12), a polícia federal norte-americana divulgou um alerta pedindo informações sobre o paradeiro de Ahmed. As autoridades dos Estados Unidos suspeitam que o egípcio tenha participado da rede terrorista como “agente facilitador”.

Segundo o governo brasileiro, ele vive no país desde 2018, obteve autorização para residência e está em situação regular. Após o depoimento, Mohamed falou com a imprensa com a ajuda de um tradutor.

Mohamed Ahmed Ibrahim disse que sofre perseguição política por fazer oposição ao governo do Egito e teme ser deportado. A defesa dele apresentou nesta quinta-feira (15) um documento que comprovaria que ele não responde a nenhum processo criminal no Egito.

Mohamed Ahmed Ibrahim quer ficar no Brasil sob a condição de refugiado. Ele teve o pedido negado e, na segunda-feira, entrou com um recurso junto ao Comitê Nacional de Refugiados, vinculado ao Ministério da Justiça.

O egípcio também ressaltou ser uma montagem a foto divulgada pelo FBI, em que ele aparece segurando um fuzil. A foto original teria sido feita na Malásia, onde ele teria participado de uma caça de patos.

O advogado Muslim Ronaldo Vaz disse que agentes do FBI queriam ouvir o acusado sem a presença de um defensor:

Como a defesa de Mohamed não concordou com a imposição do FBI de ouvir o acusado sem a presença do advogado, um próximo encontro formal será realizado para que ele possa esclarecer as dúvidas das autoridades dos Estados Unidos.

Um tradutor também deverá participar. A data do encontro, no entanto, não foi divulgada.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários