Anuncie no São Bento em Foco
CONFIRMADO

Bolsonaro confirma que Cintra foi demitido por tentativa de recriar CPMF

Presidente assegurou que recriação do imposto ficará de fora da reforma tributária

12/09/2019 07h39
Por: São Bento em Foco
Fonte: JOVEM PAN
Segundo o presidente, a decisão foi tomada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes
Segundo o presidente, a decisão foi tomada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes

O presidente Jair Bolsonaro confirmou nesta quarta-feira (11) que “a tentativa de recriar a CPMF” foi o motivo pelo qual o secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, foi demitido. Segundo ele, a decisão foi tomada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Além disso, Bolsonaro assegurou que “a recriação do imposto ou aumento da carga tributária estão fora da reforma tributária por sua determinação”.

TENTATIVA DE RECRIAR CPMF DERRUBA CHEFE DA RECEITA. Paulo Guedes exonerou, a pedido, o chefe da Receita Federal por divergências no projeto da reforma tributária. A recriação da CPMF ou aumento da carga tributária estão fora da reforma tributária por determinação do Presidente.

— Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro)September 11, 2019

Cintra ganhou destaque recentemente ao defender o retorno do imposto. Na terça (10), o secretário-adjunto da Receita, Marcelo de Sousa Silva, apresentou detalhes sobre o estudo do governo federal. Segundo o levantamento, saques e depósitos seriam taxados com uma alíquota de 0,40%, enquanto operações de débito e crédito teriam imposto de 0,20%.

O novo imposto seria incluído na proposta de reforma tributária que o governo encaminhará em breve ao Congresso Nacional. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre,  se manifestou contra e reconheceu que um novo imposto “não é possível para os brasileiros”.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários