Sexta, 03 de Julho de 2020 07:02
(83) 9 9602 8302
Esportes PRISÃO PREVENTIVA

Justiça do Paraguai nega pedido de prisão domiciliar para Ronaldinho

A decisão foi tomada nesta terça-feira pelo juiz Gustavo Amarrilla, que não aceitou a argumentação da defesa do ex-jogador.

10/03/2020 12h14
Por: São Bento em Foco Fonte: GloboEsporte.com
Justiça do Paraguai nega pedido de prisão domiciliar para Ronaldinho

Ronaldinho Gaúcho e seu irmão, Roberto Assis, seguirão presos preventivamente em Assunção, no Paraguai. A decisão foi tomada nesta terça-feira pelo juiz Gustavo Amarrilla, que não aceitou a argumentação da defesa do ex-jogador. Eles já passaram as últimas quatro noites num presídio de segurança máxima, acusados de terem entrado no país com passaportes adulterados.

Ao contrário do que havia sido dito anteriormente pelo promotor Osmar Legal, o Ministério Público do Paraguai se opôs à medida de prisão domiciliar e apresentou os argumentos na audiência desta terça.

- O Ministério Público sustentou a sua posição de se opor à toda modificação à prisão preventiva. Se trata de uma investigação com atos que atentam contra a segurança de documentos de identidade do Paraguai. Faz cinco dias que começou a investigação. Ainda se está estudando condutas individuais. Essas pessoas (Ronaldinho e Assis) não têm raízes (no Paraguai) - explicou o promotor Marcelo Pecci.

Ronaldinho e Assis estão detidos desde a última sexta-feira pelo uso de documentos com conteúdo falso. Os dois foram alvos de investigação por apresentarem passaportes e carteiras de identidade adulterados na chegada ao Paraguai, inicialmente não seriam acusados pelo Ministério Público, mas viram o caso ter uma reviravolta na sexta, quando tiveram a prisão preventiva solicitada.

Desde então os brasileiros estão na penitenciária Agrupación Especializada da Polícia Nacional, em Assunção. A instalação era anteriormente usada como cadeia comum, mas atualmente recebe apenas alguns presos de maior relevância. No último sábado os advogados de defesa do ex-jogador e seu empresário já haviam tentado tirá-los de lá, mas a Justiça decidiu manter a prisão preventiva.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias