Domingo, 31 de Maio de 2020 16:20
(83) 9 9602 8302
Paraíba COVID-19

Pesquisa aponta que 93% dos empresários paraibanos tiveram redução no faturamento por causa da pandemia

Apenas 4% dos empresários entrevistados relataram que o faturamento permaneceu igual, enquanto 1% verificou aumento no volume de vendas.

03/04/2020 11h09
Por: São Bento em Foco Fonte: Assessoria
Pesquisa aponta que 93% dos empresários paraibanos tiveram redução no faturamento por causa da pandemia

Identificar os principais impactos causados pela pandemia do coronavírus nas micro e pequenas empresas e verificar como elas estão se mobilizando para enfrentar a crise. Esse é o objetivo de uma pesquisa realizada pelo Sebrae Nacional entre os dias 19 e 23 de março, que na Paraíba ouviu 90 empreendedores de pequenos negócios. Conforme os números, 93% deles disseram que o seu faturamento mensal diminuiu por conta da crise, 4% relataram que ele permaneceu igual, enquanto 1% verificou aumento no volume de vendas.

Ainda abordando o faturamento mensal dos negócios, a pesquisa revelou que a maioria dos entrevistados, 73%, teve perdas superiores a 50%, seguidos por outros 10% que tiveram em seu faturamento perdas entre 41% e 50%. Os demais entrevistados, que somam 14%, relataram perdas que variam entre 1% e 40%. Outros 4% não souberam ou não responderam.  

Ainda abordando a crise provocada pelo coronavírus, o Sebrae perguntou aos entrevistados por quanto tempo eles acreditam que podem manter os seus negócios, sem fechá-los permanentemente, com as restrições de movimentação de pessoas adotadas até agora no Brasil. 

Segundo os números, 41% dos empresários paraibanos disseram que podem manter o negócio por até um mês, seguidos por 28% que podem mantê-lo por um período entre dois e três meses. Em seguida, aparecem os 10% que conseguem manter a empresa por um período de três a quatro meses, 2% que conseguem fazê-lo entre cinco e seis meses, 1% por mais de seis meses e 18% que ainda não sabem ou não responderam.      

Outro dado importante revelado pela pesquisa aborda a necessidade de empréstimo por parte dos pequenos negócios. Questionados se precisarão utilizar esse recurso para manter a empresa em funcionamento, sem gerar demissões, 62,2% dos paraibanos entrevistados disseram que precisarão de empréstimo, enquanto 8,9% declararam que não e 28,9% afirmaram que ainda não sabem.  

Na avaliação da gerente de Estratégia do Sebrae Paraíba, Ivani Costa, os dados evidenciam de forma clara o impacto financeiro imediato provocado pela crise do coronavírus no faturamento dos pequenos negócios.

“As respostas relacionadas ao faturamento refletem as perdas diretas já afetadas, com 83% dos respondentes indicando diminuição acima de 41% no volume de faturamento. Os números também apontam uma forte percepção dos empresários no que se refere às incertezas quanto à sustentabilidade financeira dos negócios, com 69% dos respondentes indicando que a resiliência no atual cenário de restrições dure até três ou quatro meses”, pontuou.

Custos - Com o objetivo de dimensionar os custos e as necessidades dos negócios, o levantamento também traz dados sobre as despesas que mais pesam no bolso do empreendedor. Os custos com pessoal foram apontados por 49%, seguidos pelas despesas com matérias-primas (48%), aluguel (47%), impostos (38%), empréstimos e dívidas (33%).

Sobre os custos com as matérias-primas, por conta do coronavírus, os empreendedores disseram que: eles permaneceram iguais (33%), diminuíram (30%) e aumentaram (28%). Outros 9% relataram não saber. Já em relação as despesas com pessoal, 57% declararam que elas permanecem iguais, 26% que aumentaram e 10% que elas diminuíram. Outros 7% não responderam. Quando o questionamento abordou os custos com aluguel, os entrevistados relataram que: as despesas permaneceram iguais (79%), aumentaram (14%) e diminuíram (2%). Nesse caso, outros 5% não responderam.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias