Sábado, 08 de Agosto de 2020 20:25
(83) 9 9602 8302
Mundo SAÚDE

OMS monitora de perto a peste bubônica, mas diz que não constitui ameaça grave na China

Doença é transmitida de animais a humanos por picaduras de pulgas infectadas ou pelo contato direto com cadáveres de pequenos animais infectados.

08/07/2020 06h10
Por: São Bento em Foco Fonte: G1
OMS monitora de perto a peste bubônica, mas diz que não constitui ameaça grave na China

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou ontem (7) que está monitorando de perto os casos da peste bubônica na China e enfatizou que a situação não representa uma grande ameça, além de estar "bem administrada".

 

"No momento, não consideramos que haja um risco alto, mas estamos monitorando de perto" a situação, junto às autoridades chinesas e mongóis, afirmou uma porta-voz da OMS, Margaret Harris, em coletiva de imprensa em Genebra.

 

Vários casos da peste bubônica foram relatados nos últimos dias na China. Autoridades da cidade de Bayannur, localizada na Mongólia Interior, norte da China, anunciaram uma série de medidas após detectarem um caso da doença neste fim de semana.

O paciente, um pastor, se encontra em situação estável em um hospital de Bayannur, informou em nota a Comissão de Saúde da cidade no domingo (5). A comissão proibiu a caça e o consumo de animais que podem transmitir a peste até o final do ano, principalmente as marmotas, e pediu aos habitantes que informem sobre qualquer roedor morto ou doente que encontrarem.

Outro caso suspeito, de um menino de 15 anos, foi relatado nesta segunda-feira (6) na Mongólia, segundo a agência Xinhua. Dois outros casos foram confirmados na semana passada na província mongol de Khovd, envolvendo dois irmãos que haviam comido carne de marmota.

Cerca de 150 pessoas que tiveram contato com os dois homens foram colocadas em quarentena.

Em uma nota enviada à imprensa, a OMS afirmou ter sido informada pela China "em 6 de julho sobre um caso de peste bubônica registrado na Mongólia Interior". A agência internacional de saúde destaca que a peste é "rara" e que geralmente se encontra em certas regiões do mundo onde ainda é endêmica.

 

"A peste bubônica esteve e está conosco há séculos", disse aos jornalistas Margaret Harris.

 

Durante a última década, a China informou esporadicamente de alguns casos, acrescentou a OMS.

A peste bubônica é transmitida de animais a humanos por picaduras de pulgas infectadas ou pelo contato direto com cadáveres de pequenos animais infectados. Não se transmite facilmente entre humanos.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias