Sexta, 16 de Abril de 2021 12:26
(83) 9 9602 8302
Internacional Internacional

Oposição paraguaia concorda em buscar saída de presidente e vice

Principais partidos da oposição encontram ponto de convergência na solução da crise política após violentos protestos de sexta-feira 

06/03/2021 19h50
Por: São Bento em Foco Fonte: R7
Paraguaios protestaram na sexta-feira (5) contra a condução da pandemia - (Foto: REUTERS)
Paraguaios protestaram na sexta-feira (5) contra a condução da pandemia - (Foto: REUTERS)

Os principais partidos da oposição concordaram neste sábado (6) que a solução da crise política no Paraguai, após os violentos incidentes de sexta-feira (5) em Assunção, passa pela saída do poder do presidente do país, Mario Abdo Benítez, e do vice, Hugo Velázquez, e por novas eleições.

Os líderes dessas legendas tornaram pública a abordagem após repudiarem as ações da polícia nesta sexta-feira em frente ao Congresso, quando dispersaram com balas de borracha, gás e caminhões hidrantes uma concentração de várias centenas de pessoas que denunciaram a falta de suprimentos e medicamentos nos hospitais e a má gestão da pandemia do coronavírus pelo governo.

O presidente da Frente Guasu, a maior coalizão de esquerda, Carlos Filizzola, declarou que os grupos reunidos hoje e agrupados na Mesa dos Presidentes da Oposição, é invariável que a saída de Abdo Benítez e Velázquez, ambos do Partido Colorado, precisa ocorrer por um julgamento parlamentar ou por sua própria renúncia diante da pressão pública.

"Eles têm que sair por impugnação, por resignação ou por mobilização e pressão cidadã", declarou Filizzola aos repórteres, possibilidade que, como ele mesmo lembrou, significa que o presidente do Congresso, Oscar Salomón, do partido governista, seria obrigado a convocar eleições dentro de 90 dias.

"Uma solução constitucional para um governo inepto e corrupto, que não mostrou sinais de resolver os graves problemas que nosso país enfrenta", afirmou

O presidente do Partido Liberal, o maior partido da oposição, Efraín Alegre, expressou na mesma linha e falou em reconstrução do Paraguai.

"O presidente tem que sair, o vice-presidente tem que sair. Estamos aqui para compartilhar um plano de trabalho, e o povo tem que decidir quem virá, quem terá a tarefa de reconstruir o país", destacou.

Silêncio de Abdo Benítez

O presidente passou o dia recebendo membros de seu gabinete e do partido governista e deve emitir um pronunciamento à nação ainda hoje. Pela manhã, o governo havia anunciado que Abdo Benítez pediu aos ministros para colocarem seus postos à sua disposição, e com isso são esperadas mudanças no gabinete.

O chefe de Estado já fez uma grande mudança na manhã de ontem ao acertar a saída do ministro da Saúde, Julio Mazzoleni, que foi alvo de críticas pela escassez de medicamentos nos centros de saúde pública.

Entretanto, a queda de Mazzoleni não impediu a convocação e realização de protestos para denunciar a situação, bem como os casos de corrupção que foram lançados sobre o governo.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias