Estão abertas as inscrições para o curso de extensão “O Golpe de 2016 e as Perspectivas da Democracia no Brasil”, que será realizado no período de 6 de abril a 8 de junho, sempre às sextas-feiras à tarde, no auditório 412 do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA), no campus I da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa.

O curso é gratuito e aberto ao público em geral, sem limite de vagas. O conteúdo será ministrado, em três módulos, por professores de diversos departamentos da UFPB. No total, serão dez aulas, com duração de três horas cada, conferindo, portanto, certificados de 30 horas aos participantes que apresentarem, no mínimo, 75% de frequência. Os interessados devem inscrever-se, a partir de 2 de abril, no Sigaa.

De acordo com o pesquisador Jonas Duarte, um dos organizadores, um objetivo do curso é promover o desenvolvimento da razão crítica a respeito das fragilidades democráticas e das características socioeconômicas e culturais do Brasil. Outro, é o de reforçar o conhecimento sobre os diversos aspectos do Golpe de 2016 e suas consequências para a democracia no País.

A iniciativa tem, ainda, caráter solidário, em defesa da liberdade didática e científica acadêmica, pautada na autonomia universitária. Acompanha a oferta de componentes curriculares e de cursos de extensão e pós-graduação sobre o Golpe de 2016, hoje existentes em mais de 40 universidades públicas brasileiras* – um grupo que só aumenta, depois da tentativa do Ministério da Educação (MEC) de barrar o tema em disciplina do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília (UnB). As Universidades Federais de Goiás (UFG) e da Bahia (UFBA) foram igualmente questionadas pelo mesmo motivo, inclusive na Justiça, pelo Ministério Público Federal (MPF) e por um vereador, respectivamente.

Além da oferta de cursos e cadeiras, universidades brasileiras realizam outros eventos relacionados à questão do golpe de 2016, colocada em torno do impeachment de Dilma Rousseff. É o caso dos seminários da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com o tema “Os golpes de 1954, 1964 e 2016 e as políticas públicas para a saúde e educação”, ocorrido em 13 de março; e da Universidade Estadual de Londrina (UEL), com “O Golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil”, encerrado hoje, 28. Para abril, a Universidade Federal do Cariri (UFCA) programou um seminário acerca do mesmo tema e a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), um debate.

 

com assessoria da UFPB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here